Notícias


2012 7 de Agosto - 9 de Agosto
EXPO ELEVADOR 2012

IV edição

FEIRA DA INDÚSTRIA E SERVIÇOS DE ELEVADORES E ESCADAS ROLANTES

Local:Centro de Exposições Imigrantes
Endereço:Rod. dos Imigrantes, Km 1,5
Horário:07 a 09/08 das 12h às 20h
Promotor:Editora WP News Ltda
Link:www.expoelevador.com.br/

A Expo Elevador proporciona uma oportunidade ímpar de negócios onde, de forma setorizada, o visitante poderá relacionar-se com os mais variados fornecedores de produtos e serviços do mercado de elevadores e escada rolantes do país.


====================================

EXPOELEVADOR 2010 SUCESSO ABSOLUTO


 

FEIRA COMPROVA A FORÇA DA INDÚSTRIA NACIONAL DE ELEVADORES


E A MAIS MODERNA TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL E PREDIAL

Mais de cinco mil visitantes compareceram à terceira edição da Expo Elevador, a maior feira do setor de toda a América do Sul. Este ano a ExpoElevador aconteceu em conjunto com a 1º edição da Expo Predialtec – feira de tecnologias avançadas para edificações, nos dias 18 e 19 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. A Expo Elevador comprovou o aumento da capacidade e o alto nível da indústria nacional, alcançados graças à conquista de maior acesso ao mercado fornecedor de peças e componentes.



Além de quase 30 fabricantes nacionais, a exposição reuniu dezenas de fornecedores de componentes, peças, máquinas escadas rolantes e equipamentos de transporte de passageiros em edifícios, além de empresas de manutenção de elevadores. O evento atraiu, ainda, expositores da China, Alemanha, Espanha, Itália, Coreia do Sul, Estados Unidos, Canadá e Argentina. “Mostramos que o mercado oferece opções variadas de equipamentos, com alta tecnologia agregada aos comandos dos elevadores, opções de transporte para pessoas com mobilidade reduzida, além de soluções completas para elevadores novos, escadas rolantes e tecnologias avançadas em operadores e portas de pavimentos”, destacou Edilberto Cardoso de Almeida, diretor da Editora WP, empresa promotora do evento.



Novidades – A feira mostrou “elevadores ecologicamente corretos”, que reduzem o consumo de energia elétrica, “elevadores sem casa de máquinas”, “elevadores com máquinas sem engrenagem não utilizam mais óleo e graxa que poluem o meio ambiente”, “elevadores inteligentes” antecipam e distribuem as chamadas, com alto desempenho de velocidade atendem edificações com grande fluxo de pessoas e muitos pavimentos, entre outros equipamentos modernos. O segmento movimentou mais de R$ 2,5 bilhões este ano no Brasil.



Estão previstos mais nove mil elevadores novos no mercado brasileiro, número 12% maior do que no ano passado, segundo estimativas do Sindicato das Empresas de Elevadores do Estado de São Paulo (SECIESP).


Fonte: http://www.seciesp.com.br/ 



===================================

Matéria Sobre o Bom Uso dos Elevadores.


Assista ao vídeo.

=====================================================

FORNECIMENTO DE PEÇAS PARA O MERCADO DE ELEVADORES.
A DESMISTIFICAÇÃO DE UM MITO

O SECIESP tem recebido diariamente correspondências e e-mails de síndicos e administradores de Condomínios com diversas dúvidas sobre elevadores, porém uma das mais constantes esta relacionada ao fornecimento e abastecimento de peças de elevadores para as empresas conservadoras multimarcas.
No momento de decidir sobre a empresa que fará a manutenção dos elevadores a principal questão que surge é: 

“Quero trocar a empresa que faz manutenção em nossos elevadores, pois não esta nos atendendo a contento. Atualmente esta manutenção é feita pela empresa montadora do elevador. Tenho dúvidas com relação às peças no caso de troca. As empresas conservadoras têm acesso para compra de peças? Onde são compradas estas peças?”

O SECIESP, além de outras, tem a função de orientar o mercado consumidor dos produtos e serviços do segmento de transporte vertical.
Neste sentido, com relação às questões acima levantadas, esclarece que:

1) O mercado de elevadores, hoje em dia, é bastante diversificado. A indústria de elevadores não esta, como no passado, tão verticalizada a ponto de produzir todos os componentes necessários para a fabricação de um elevador. Hoje, estas empresas, tal como o mercado de automóveis, funcionam como montadoras. Os fornecedores das peças que compõem os equipamentos são, via de regra, comuns a todas as empresas.
Além disto, o mercado globalizado possibilita a toda e qualquer empresa o acesso a tecnologia de ponta disponível no mundo inteiro, inclusive no Brasil.
Portanto, não tenha dúvidas com relação a este assunto, pois as peças de reposição não são um problema para as empresas de conservação de elevadores, uma vez que o mercado disponibiliza para elas todos os componentes necessários para se fazer uma excelente manutenção.

2) Acesse o nosso site, www.seciesp.com.br, e confira as empresas classificadas como “colaboradoras”, pois estas são algumas das empresas que abastecem o mercado com peças e componentes de reposição. Inclusive, algumas delas, fornecem seus produtos para as multinacionais instaladas hoje em nosso país.

3) Portabilidade. Palavra comum para os nossos dias modernos. Assim como o seu carro e o seu telefone celular, entre outros, não são propriedade de quem os fabricou. O elevador é de propriedade do Condomínio, e não da empresa que o montou. Uma vez que você comprou e pagou, o equipamento é seu. O Condomínio não precisa e não deve ficar refém de uma empresa que não o está atendendo a contento.
O cliente deve ficar com uma empresa pelos bons serviços que presta e não simplesmente pelo argumento inverídico e ingênuo de que as empresas conservadoras multimarcas não tem acesso a peças e componentes.

4) Também no nosso site, www.seciesp.com.br, encontram-se listadas as empresas de conservação, nossas associadas, que tem toda a condição de prestar-lhes um bom serviço de manutenção. Para que possamos agir ainda dentro de total transparência, indicamos acessar o site da prefeitura municipal, www.prefeitura.sp.gov.br, procurar o departamento de controle urbano e seguir as instruções até chegar à lista das empresas que possuem registro de concessão para atuar na cidade de São Paulo.
Esperando ter contribuído com o esclarecimento destas questões, continuamos a disposição dos síndicos(as) e administradores(as) para dirimir quaisquer outras dúvidas que possam surgir com relação ao mercado de elevadores.

Fonte: http://www.seciesp.com.br/ 

---------------------------------------------------------------------------------------------
A PORTABILIDADE DA MANUTENÇÃO DE ELEVADORES

A PALAVRA portabilidade está, paulatinamente, ingressando no vocabulário do brasileiro como
algo de grande valia para as pessoas. A possibilidade de troca de operadora de celular, banco
ou plano de saúde com menos burocracia e perdas já é possível. Enfim a liberdade de escolha.
Em março, começa a valer a portabilidade para celulares na cidade de São Paulo, ou seja,
pode-se mudar de operadora e manter o mesmo número. Em abril, passa a valer uma lei
nacional para facilitar a troca de plano de saúde sem carências. O salário depositado numa
conta também já pode ser transferido para outro banco sem taxas.

O contrato de manutenção de elevadores, teoricamente, poderia ser feito por qualquer
empresa legalmente habilitada para este fim e da livre escolha do consumidor. Só na cidade de
São Paulo há mais de 90 empresas habilitadas na prefeitura (Contru) e CREA, sendo que a
maioria não é fabricante de equipamento. Por que há dificuldade de “fazer valer” a livre
concorrência dos serviços de conservação e manutenção de elevadores?

Multas abusivas para o cancelamento de contratos

Algumas empresas tentam impor em seus contratos prazos de até cinco anos de vigência e
multa de 50% em todas as mensalidades no caso de rescisão. Um valor alto que praticamente
inviabiliza a mudança para outro concorrente com proposta mais atraente. Em comparação
com os contratos de celulares, uma grande operadora de São Paulo lançou uma campanha
excluindo qualquer tipo de multa contratual. Não é justo tolerar um mau serviço ou mais caro
por conta de uma multa.

O que fazer: Não assine contratos com multas elevadas e se possível revise os atuais
alterando este tipo de cláusula. Se a multa for exagerada (mais de três mensalidades)
denuncie aos órgãos de defesa do consumidor.

Equipamentos bloqueados

Muitas pessoas não sabem, mas o seu elevador pode ter uma senha que impede a
manutenção por outra empresa, que não aquela que instalou os equipamentos.

O que fazer: Não permita que instale senhas de manutenção, evite empresas cujos
equipamentos são exclusivos e dificultam a manutenção por outra empresa. Prefira
equipamentos genéricos que possam ser conservados por qualquer empresa especializada.

Exija que retire a senha (já há decisões judiciais com esta determinação) e que o fabricante do
equipamento forneça manual completo, não apenas de utilização do elevador, mas de
manutenção do mesmo e mantenha os registros das manutenções realizadas como manda a
norma de elevadores.

Empresas de celulares, impõe a fidelidade ao contrato em contrapartida a um desconto na
compra do aparelho. No caso do elevador não houve nenhuma vantagem para o condomínio.
Se houve foi para a construtora, que muitas vezes fez o primeiro contrato de manutenção e que
comodamente vem sendo renovado sem comparações.

O cliente deve manter o contrato de manutenção porque é bem atendido e não por que é
obrigado. Exija seus direitos porque portabilidade sem liberdade não é portabilidade de
verdade!!

O SECIESP acredita que esta liberdade exige maior esforço das empresas manutenção
diferenciados e de qualidade, o que beneficia os condomínios e usuários em geral. Em caso de
dúvidas consulte o Seciesp.

Mais informações no site www.seciesp.com.br

_________________________________________________________________________________________________________

SENHA PARA MANUTENÇÃO DE ELEVADOR RESTRINGE LIBERDADE DO CONSUMIDOR

A livre escolha da empresa prestadora de serviço de manutenção de
elevadores em um condomínio pode estar ameaçada.

O fabricante de elevadores, que instala equipamentos com códigos secretos
(senha), para que seja realizada a manutenção, inviabiliza a prestação deste
serviço por empresas concorrentes.

Seria equivalente a compra de um carro. Quando houvesse a necessidade de
levá-lo a uma oficina, a mesma dependesse da boa vontade do fabricante ou
da concessionária para fornecer esta senha de realização de serviços básicos
de manutenção.

E mesmo que o fabricante fornecesse a senha de acesso, quando solicitada
(direito do proprietário do equipamento), esta situação, no mínimo, gera
transtornos e constrangimentos para quem realiza ou necessita da
manutenção.

Ao vender um equipamento e ao mesmo tempo impor a contratação do
serviço de manutenção pela mesma empresa, pode ser considerada uma
venda casada.

Só na cidade de São Paulo, há mais de 80 empresas legalmente habilitadas
pela Prefeitura a prestar serviços de conservação e manutenção em
elevadores. Para obter esta permissão, elas cumprem uma série de
exigências legais, tais como: ter engenheiro responsável; quantidade mínima
de técnicos proporcional ao número de elevadores; manter plantão 24 horas;
seguro de responsabilidade civil; entre outros.

Caso você, como proprietário ou administrador do edifício, permita que
instalem estas senhas no elevador, não terá a oportunidade de contratar
outras empresas alternativas, que podem, eventualmente, oferecer melhores
propostas de serviços para os seus equipamentos.

O SECIESP recomenda que, ao comprar o elevador, verifique com o
fabricante do equipamento, se possui algum dispositivo que impeça o acesso
à manutenção. Caso encontre esta situação, exija o fornecimento da senha
para garantir o livre direito de escolha do prestador de serviço.

Fonte: http://www.seciesp.com.br/

___________________________________________________________________________________________